Topo

QUATRO PATAS E UMA MALETA

QUATRO PATAS E UMA MALETA

  O Carnaval vem chegando e com ele a dúvida: deixar o bichinho de estimação em casa, na “creche” ou incluí-lo no seu roteiro de descanso?

 

 

Muitos donos ficam preocupados e até mesmo com remorso de deixar aquela coisinha fofa para trás, mesmo que na companhia de outros amiguinhos ou familiares.

 

Se a sua opção for a última, já vá treinando seu animalzinho a acompanhá-lo em distâncias mais longas, antes de partir para a PRÓXIMA ROTA.

 

E tem mais: antes de sair pela estrada, fazer o check-in no aeroporto ou embarcar em um cruzeiro marítimo é preciso estar atento ao calendário de vacinas, checar os remedinhos básicos e os imprescindíveis caso o animal seja cardíaco, por exemplo, e cumprir todas as normas burocráticas.

 

 

NO AVIÃO

 

Se o bichinho for de pequeno porte, pode ir dentro da aeronave. Se for maior, no porão. Os com mais de 30kg precisam ser despachados.

 

Cães e gatos com focinho curto, caso da nossa lhasa apso Julia, não podem ir no porão pressurizado porque podem ter problemas para respirar.

 

As seguintes raças não são permitidas:

 

  • Cães: Buldogue Americano, Boston Terrier, Boxer, Griffon de Bruxelas, Pug Chinês, Chow Chow, Pug Holandês, Pug, Pequinês, Buldogue Inglês, Cavalier King Charles Spaniel, Buldogue Francês, Dogue de Bordeaux, Lhasa Apso e Shih tzu;
  • Gatos: Persa, Burmês, Exótico e Himalaio.

 

Por isso é sempre bom consultar seu veterinário e as regras das cias aéreas antes de voar com seu amigo.

 

Na GOL, por exemplo, existem três possibilidades de transporte de animais. Na cabine, para cães e gatos de pequeno porte, no porão dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros para animais entre 11 e 30 kg ou via Gollog, quando o animal ultrapassa o peso de 30 kg. Além disso, cães-guia, cão ouvinte e cão-assistente, podem viajar na cabine acompanhados de uma pessoa com deficiência visual.

 

Para o transporte na cabine, na GOL são aceitos hoje todos os tipos de cães ou gatos, desde que tenham idade mínima de quatro meses, peso máximo de 10 quilos (incluindo o kennel), e que atendam todas as especificações de segurança.

 

 

 

ATENÇÃO – INFORMAÇÕES SOBRE O TRANSPORTE AÉREO DE ANIMAIS

 

  • Até 10 kg – na cabine de passageiros

 

Para ser transportado na cabine é importante que o dono do cão ou gato esteja atento a todas as regras e processos que visam, prioritariamente, o bem-estar dos animais e uma melhor experiência de viagem para todos.

 

O check-in deve ser feito até 2h antes do embarque e o pet precisa ter mais de quatro meses de idade, estar em boas condições de higiene e ter todas as vacinas em dia. Além disso, de acordo com a ANAC – Agencia Nacional de Aviação Civil, o dono também deve apresentar antes da viagem um atestado de sanidade do animal, fornecido pela Secretaria de Agricultura Estadual, Posto do Departamento de Defesa Animal ou por médico veterinário. O documento precisa ter validade de dez dias.

 

Dentro da aeronave, o cão/gato precisa estar dentro do kennel (caixa de transporte), que deve ter espaço suficiente para ele dar uma volta completa em torno de si. Este espaço é fundamental para garantir mais conforto ao pet durante a viagem, já que por segurança ele não poderá ser retirado deste contêiner no período de voo. A caixa deve ser forrada com material que absorva a urina e fezes do animal para não vazar na cabine.

 

Especialmente se é a primeira viagem, é importante que dono converse com o veterinário para passar quaisquer outras recomendações especificas para o seu animal de estimação.

 

  • Até 30 kg – no compartimento dianteiro da aeronave

 

Caso o animal ultrapasse as dimensões ou peso máximo para viajar na cabine ele terá que viajar no compartimento de cargas da aeronave.

 

Os animais que pesam até 30 kg são despachados no compartimento dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros.

 

Filhotes da mesma ninhada, com idade máxima de 4 meses e 29 dias (pequeno porte) e pertencentes ao mesmo cliente, podem estar na mesma caixa de transporte, limitado a dois filhotes por caixa (nesse caso deverão ser despachados). Se os filhotes no dia do transporte estiverem com 5 meses completos, deverão seguir em caixas separadas.

 

A aplicação do sedativo fica a critério do cliente que deverá entregar o laudo do veterinário informando o tipo e quantidade de sedativo utilizado, a data e a hora da aplicação e o prazo de efeito do produto.

 

  • Acima de 30 kg – Gollog

 

Caso o animal e a caixa de transporte juntos somem mais de 30 kg, ele deverá ser transportado como carga. Neste caso, a viagem é feita pela Gollog, o serviço de cargas da GOL.

 

A Gollog, assim como a GOL, embarca apenas dois animais por voo, salvo exceções que deverão ser consultadas com as centrais de atendimento das empresas.

 

Além disso, para que o animal faça a viagem aérea pela Gollog, é preciso que ele seja despachado em embalagem apropriada com duas horas de antecedência ao voo no Terminal de Cargas Gollog do aeroporto.

 

 

WELCOME!

 

Por terra, pelo ar ou mar também é preciso, bem antes, verificar se o hotel autoriza a hospedagem de pets no mesmo apartamento dos donos ou em lugar específico.

 

Estive recentemente na República Tcheca e no em que me hospedei em Praga cães de várias raças desfilavam normalmente no café da manhã. Na Itália, França, Suíça, Estados Unidos e tantos outros países de primeiro mundo, presenciei como os cães e gatos são muito bem-vindos. Quase dividi minha pizza na Piazza Navona em Roma com um cãozinho que não parava de me encarar. Mas depois descobri que não se tratava de fome já que era muito bem tratado. Com certeza sentiu de longe minha marca registrada:  o cheiro dos meus quatro filhos que haviam ficado no Brasil. Ó dó, ó pena, ó remorso! Mas quatro numa viagem internacional é complicado!

 

Um pouco mais tímido, mas seguindo o exemplo do Primeiro Mundo, o Brasil dá saltos nesse sentido. Hoje são vários os hotéis, companhias aéreas e restaurantes que aceitam e muito bem os pets. Minha filha Paula que mora em São Paulo sempre cruza com pets em lanchonetes e restaurantes. No Bravo, já teve a alegria de conhecer Estopinha e seu dono famoso, Alexandre Rossi.

 

Mais uma prova de como o turismo quatro patas vêm crescendo a ponto de muitos hotéis investirem em promoções, inclusive agora para o Carnaval. O dono relaxa e ainda por cima ganha desconto se estiver acompanhado com seu xodó.

 

 

TAPETE HIGIÊNICO E RAÇÃO DE CORTESIA

 

Em São Paulo, o TRYP Jesuíno Arruda acaba de lançar promoção exclusiva para clientes MeliáRewards durante o Carnaval com seus pets.

 

Além do desconto de 10%, café da manhã incluso e late check-out até às 16 horas, os participantes do programa de fidelidade da rede – MeliáRewards – terão mais 15% OFF, totalizando 25% de desconto sobre a melhor diária disponível para a venda para no mínimo de 3 noites.

 

Para receber os pets como eles merecem, o TRYP Jesuíno Arruda oferece apartamentos específicos com sacada e piso laminado de madeira, uma cama de tamanho médio para o pet, dois potes para água e ração, tapete higiênico e, como cortesia, brinquedo/mordedor e um pacote de biscoito/bifinho de acordo com o animal.

 

Os pets ficam hospedados junto a seus donos. E mais: se a reserva for efetuada com antecedência de no mínimo 48 horas, o hóspede ganha 2 potes (para água e ração) personalizados com o nome do pet. Porém, é importante lembrar que os donos devem se responsabilizar inteiramente pela mobília do apartamento. Diária: R$ 50 por animal.

 

Para aqueles que ainda não são clientes MeliáRewards, basta acessar o site www.meliarewards.com e realizar seu cadastro gratuitamente. Para aproveitar esta promoção, os clientes devem realizar suas reservas no período de 06 a 23 de fevereiro diretamente no site: www.melia.com – no link MeliáRewards ou pelo call center 0800-5913008.

 

O TRYP Jesuíno Arruda fica na Rua Jesuíno Arruda, 806 – Itaim Bibí – São Paulo.

 

 

GUIA TURÍSTICO ANIMAL

 

Também na capital paulista, o Prodigy Grand Hotel & Suítes Berrini agora é pet friendly, assim como o Sheraton Salvador (BA), da mesma rede. Animais de até 18 kg são permitidos no mesmo apartamento dos donos e com toda a infraestrutura necessária para recebê-los.

 

Além de cama específica, coleira, recipientes com água e comida e materiais de higiene, o Kit oferecido pelo hotel ainda contém um guia explicativo da região, com indicações de parques para passeios com os cães, clínicas veterinárias 24 horas, pet shops, pet sitting services, dog walkers e ainda uma tag para a porta do quarto do hotel, indicando a presença do cão: “por favor não perturbe, animal de estimação no quarto”.

 

Para aderir à hospedagem do pet, os donos pagam uma taxa extra de R$90 por diária, que já inclui todos os itens citados acima, além de assinar um termo de responsabilidade que inclui regras básicas como, por exemplo, manter o pet na coleira ou no colo em áreas públicas, deixar o animal fora de áreas de alimentos e bebidas, estar sempre presente, ou seja, nunca deixar o cão sozinho no apartamento.

 

O Prodigy Berrini fica na Rua Quintana, 1012, Brooklin Novo, São Paulo (SP). Mais informações pelo telefone (11) 5508-5000. Sobre o hotel: www.prodigyberrini.com.br.

 

 

 

TURISMO 4 PATAS NO RIO E MINAS

 

Quem opta por viajar para o Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Lagoa Santa ou Sete Lagoas, pode ficar tranquilo se optar pela rede Promenade Hotéis & Aparts que tem opções de hospedagem nessas cidades para receber os companheiros de quatro patas – com até 15 quilos – com todo o conforto.

 

Os hotéis Promenade Verano Stay, Promenade Link Stay Rio Stay, Promenade Paradiso e Barra First, na Barra da Tijuca, Promenade Palladium e Promenade Visconti na zona sul no Rio de Janeiro, Promenade Toscanini, na região da Savassi, em Belo Horizonte, Promenade Veredas, em Sete Lagoas (MG) e Promenade Lagoa Santa, em Lagoa Santa (MG), permitem a hospedagem de cães nas suas dependências. Este serviço, que é acrescido no valor da diária, permite aos hóspedes a possibilidade de hospedar seu cãozinho de estimação de pequeno porte (até 15kg) desde que esteja devidamente vacinado e vermifugado. Os hotéis Promenade dog friendly têm certificação do Turismo 4 Patas, especialista em hospedagem de animais em hotéis.

 

www.promenade.com.br

 

 

IBGE CONFIRMA A PREFERÊNCIA NACIONAL

 

Os brasileiros são apaixonados por seus pets. Pesquisa do IBGE confirma que nos 65 milhões de domicílios, 44,3% deles têm pelo menos um cão e 17,7% pelo menos um gato. O triste é saber que há tantos outros – 30 milhões – abandonados, número que aumenta no período de férias – janeiro e fevereiro – quando há uma alteração considerável na rotina dos tutores, segundo dados das ONGs que fazem parte do Programa PEDIGREE® Adotar é Tudo de Bom. As ONGs, que chegam a ficar no limite da capacidade, recebem cerca de 30 pedidos a mais de resgate por mês, enquanto normalmente, em média, costumam receber 15 chamados.

 

Por outro lado, uma pesquisa inédita realizada pelo IBOPE Inteligência, em parceria com o Centro de Pesquisa WALTHAM® – a principal autoridade científica em bem-estar e nutrição de pets -, para traçar o perfil de donos de pets no Brasil também avaliou as justificativas apontadas por quem não tem um animal de estimação. Uma barreira de destaque é o fato de não ter com quem deixá-los quando viajam.

 

 

NÃO  ABANDONE!

 

É importante conscientizar os tutores de pets que, quando o período de férias se aproxima, é preciso se programar e pensar se ele será parte dos planos ou não. Pensando nisso, a Mars e a Dra. Carolina Padovani, Médica-Veterinária e Gerente de Comunicação Científica da ROYAL CANIN® Brasil, destacam pontos importantes a serem avaliados nesse período, os quais buscam garantir o bem-estar do animal de estimação.

 

O mundo petfriendly é uma realidade e, em muitas empresas, os nossos melhores amigos já são bem-vindos, como em hotéis, restaurantes, companhias aéreas e rodoviárias. Mas, é importante que antes de sair para as férias o pet passe por um check-up veterinário, que o tutor busque saber sobre a existência de alguns tipos de parasitas comuns em certas regiões, além das exigências regulamentais para transportes terrestres e aéreos.

 

 

NA PRAIA

 

A médica cardiologista Lucienne Martinello que cuida de meu cão velhinho, de 15 anos, o Juca, faz um alerta para quem pretende levar os bichinhos para a praia: a doença conhecida como “verme do coração”, dirofilariose, causada por um parasita voltou a atacar em cidades praianas e localizadas em regiões de lagos.

 

Portanto antes de viajar consulte seu veterinário de confiança para o cão seja imunizado corretamente. “Levar gatos e cães à praia exige cuidados especiais com alguns tipos de parasitas. Informe-se previamente com o Médico-Veterinário de sua confiança e lembre-se que em muitas praias a permanência de animais de estimação é proibida”, acrescenta a médica Carolina Padovani da Royal Canin.

 

 

E tem mais:

 

  • Fique atento ao piso quente que pode queimar as patas e causar sofrimento aos animais. Também atente ao calor que ele sente quando exposto ao sol, principalmente os gatos e cães de pelos longos. Os animais também sofrem com o sol forte.

 

  • Mantenha sempre água limpa e fresca à disposição.

 

  • Se a viagem for de carro, passeie com o animal antes de ele entrar no veículo para que ele faça suas necessidades. O ideal é acostumar o animal com o movimento antes de iniciar o percurso.  Não é indicado que o animal seja alimentado antes das viagens e durante o trajeto, já que eles podem ficar enjoados. Nunca deixe o pet solto dentro do carro. O recomendado é utilizar caixa de transporte adequada ou, para cães, cinto de segurança próprio. Não permita que o animal coloque a cabeça para fora da janela, pois isso pode causar otite ou machucados em caso de impacto com insetos ou pedras.

 

  • Importante que se altere o mínimo possível a rotina do animal (horários de alimentação, passeios e brincadeiras por exemplo).

 

  • Vale lembrar que o pet deve estar devidamente identificado com plaquinha na coleira ou microchip, além de estar em dia com vermifugação, vacinações, anti-pulgas/carrapatos.

 

 

*Texto: Eliane Barbosa

 

Eliane Barbosa
Sem comentários

Escreva seu comentário