Topo

GOULASH E MUITO MAIS

GOULASH E MUITO MAIS

A cozinha tcheca é abundante e saborosa. Por influência da culinária alemã e austríaca, há muito espaço para as carnes e doces.

 

 

A República Tcheca é a campeã mundial em consumo de cerveja. Nenhuma novidade tendo em vista que é lá, na Boêmia, que é produzida a melhor cerveja do mundo: a Urquell.

 

Em Praga, em Brno ou em qualquer outro canto desse país fantástico o que não faltam são excelentes marcas que se diferenciam das nossas pelo sabor e cremosidade. Uma delícia!

 

(E.B.)

 

Com preço mais do que atraente. Dependendo de onde se esteja uma caneca (velké – grande) chega a custar menos que uma garrafinha de água. Coisa equivalente a 1 dólar. Os alemães cruzam a fronteira para tomar cerveja tcheca, admitindo ser melhor do que as deles, e cinco vezes mais em conta.

 

Saúde!!! (E.B.)

 

Além da cerveja – consumida por homens e mulheres, incluindo os artesãos dos cristais em seus turnos junto aos fornos – os tchecos têm uma alimentação rica em carnes, incluindo a de javali. Geralmente servidas com molhos substanciosos. No lugar do pão nosso de cada dia, uma espécie de bolo de pão ou de batatas e farinha de trigo com embutidos (knedlízy ou bramborák) é oferecido formando o acompanhamento perfeito.

 

Há restaurantes excelentes por toda parte. Para nós brasileiros acostumados com os restaurantes envidraçados ou mesmo ao ar livre, nada mais atrativo, peculiar, do que descer as escadas que levam às tavernas subterrâneas (hospoda ou pivnice)  onde a maravilhosa culinária tcheca é oferecida.

 

Um “déjà vu” aos tempos da távola, da mesa redonda, da comida farta e dos brindes  à boa vida. As tavernas são populares por lá, reunindo, na hora do almoço turistas e executivos que não dispensam as especialidades locais. Os pratos são fartos. Suficientes para duas pessoas, no mínimo. Mas como o cheiro atrai de longe, fazendo as papilas gustativas salivarem, difícil não cometer nessa hora o pecado da gula.

 

Nas ruas, salsichas de todo tipo são assadas na hora e servidas com pão ou bramborák. Para sobremesa, impossível não provar o Trdelník, tradicional rosca assada em brasa envolta em um cilindro de madeira e depois coberta com castanhas e açúcar.

 

As feiras livres são a melhor forma de conhecer a comida local (E.B.)

 

O tradicional Trdelník perfuma as ruas de Praga (E.B.)

 

 

O remorso pode pesar mas lembre-se que as calorias da comida e da cerveja serão gastas logo mais no sobe e desce das escadarias, no cruzar das pontes, nas caminhadas pelas ladeiras de pedras. Com as devidas bençãos de São Nicolau!

 

 

Primeiro prato (předkrmy)

 

É um exagero pedir entrada diante do tamanho do prato principal. Mas é bom saber que o presunto de Praga (pražská šunka), é uma variedade especialidade do país, assim como o de Parma, na Itália.

 

Para abrir o apetite (E.B.)

 

 

Outra delícia: o “husí játra na cibulce”, traduzindo: fígado de ganso com cebola. Coma com parcimônia, absorvendo aos poucos.

 

Já para quem não fica sem uma saladinha verde a dica é pedir a Šopský salát, com tomates e pepinos cobertos com queijo ralado. Tomate e pepino são consumidos até mesmo no café da manhã dos hotéis, no Pyramida e no Nh, por exemplo (nesse a ala executiva é acessada via funicular vermelho – lembrando aquele bondinho do filme “ O Grande Hotel Budapeste” – assista, é ótimo!)

 

Se quiser conhecer mais sobre a produção agrícola incluindo os mais variados legumes, cogumelos e verduras, compareça às feiras que acontecem por todo o país. É uma ótima opção para comer bem e gastar pouco!

 

Pães e queijos produzidos artesanalmente são vendidos nas feiras próximas ao Rio Moldava, em Praga (E.B.)

(E.B.)

 

 

Sopas, sempre (polévky)

 

Aqui no Brasil, por conta do clima, não temos o hábito de tomar sopa de entrada. Um erro. Em Rio Claro, onde ainda tenho primas, nunca faltou na casa de meu tio Rosendo (descendente de espanhóis)  o prato fundo em cima do raso, no almoço e no jantar.

 

Na República Tcheca elas são encorpadas, maravilhosas, valem por uma refeição completa se você não for guloso como eu.

 

Sopas encorpadas e bem temperadas são servidas em todos os restaurantes (E.B.)

 

 

Entre as mais populares, peça a sopa nacional (česká bramborová) à base de cenouras, cogumelos (olha eles ai de novo!) e batatas, a sopa de repolho com bacon (zelňačka) ou a sopa de cayos (Drstková), surpreendem.

 

 

Pratos principais (česká národní jídla)

 

O Goulash, sem dúvida, é o prato mais famoso da República Tcheca, com pequena variação do original criado na Hungria – a antiga Tchecoslováquia, como todos sabem fazia parte do Império Austro-Hungaro. Além de saboroso e farto, é um dos mais baratos nos restaurantes sofisticados ou populares. É preparado com carne bovina, legumes e cerveja, é claro.

 

O Goulash, sempre servido com pães (E.B.)

 

 

Outros pratos muito apreciados à base de carne bovina, mas mais caros do que os de carne suína ou de javali (irmão do porco) são a Svíčková na smetaně (carne assada com molho à base de nata e frutas silvestres) e o Španělské ptáčky (carne recheada com bacon, cebola e pepino).

 

Os tchecos também gostam muito de pratos à milanesa e de peixes, como a carpa, tradicionalmente servida no natal acompanhada de ameixas secas e nozes (Kapr na černo).

 

Kapr na černo – carpa com ameixa seca e nozes (divulgação internet)

 

 

 

RECEITAS

 

GOULASH TCHECO

 

(E.B.)

 

Ingredientes

 

  • 1kg de carne a sua escolha, desde que seja uma carne de segunda que exige maior tempo de cozimento.
  • 2 colheres de sopa de extrato de tomate
  • 2 cebolas grandes
  • 4 dentes de alho
  • 300ml de cerveja
  • 2 pimentões vermelhos
  • manjerona ou orégano a gosto

 

Preparo

 

Doure a cebola em cubos e o alho amassado com um pouco de óleo. Junte a carne e deixe dourar por uns 5 minutos em fogo alto. Abaixe o fogo e misture o extrato de tomate, mas não deixe cozinhar por muito tempo, pois o extrato de tomate pode amargar. Junte 500ml de água e deixe cozinhar em fogo baixo por uma hora. Após uma hora, acrescente a cerveja, os pimentões cortados em cubos e sal a gosto. Cozinhe por mais 15 minutos. Desligue o fogo e salpique o manjericão ou orégano.
Sirva com arroz ou macarrão.

 

 

ČESNEKOVÁ POLÉVKA (sopa de alho)

 

(divulgação internet)

 

Ingredientes

 

  • 2 ovos
  • 1 litro e meio de caldo de carne*
  • 4 batatas
  • 8 dentes grandes de alho
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 2 colheres (sopa) de farinha
  • Pimenta-do-reino moída, sementes de cominho, manjerona e sal a gosto

Preparo

 

Inicialmente, em uma panela grande, cozinhe a farinha na manteiga até que fique dourada (essa misturinha, conhecida como “roux”, é muito importante, pois vai espessar a sopa). Em seguida, acrescente o caldo de carne, mexendo bem até dissolver toda a farinha. Então junte o alho picado, as batatas em cortadas em cubos e as sementes de cominho. Cozinhe até que as batatas estejam bem macias.
Antes de servir, quebre os 2 ovos dentro da sopa e mexa para cozinhar e espalhar.
Tempere com sal, pimenta do reino moída na hora e manjerona.

 

*Para a sopa ficar mais especial, experimente fazer um caldo de carne caseiro! Basta cozinhar por 30 minutos na panela de pressão: 500g de músculo bovino em cubos, 1 cenoura, 1 cebola, 1 tomate, 1 talo de salsão com as folhas, 1 rama de canela, 3 cravos-da-índia, 5 grãos de pimenta-do-reino, 1 folha de louro e 2 litros de água.

 

 

BRAMBORÁKY (panquecas de batata)

 

O BRAMBORÁKY pode acompanhar carnes ou mesmo uma salada (E.B.)

 

Ingredientes

 

  • 1kg de batatas
  • 150 g de farinha
  • 2 ovos
  • 100 g de carne defumada (pode ser bacon)
  • 3 colheres de sopa de leite
  • 4 dentes de alho
  • manjerona, pimenta do reino, sal a gosto
  • óleo para fritar

 

Preparo

 

Descasque e rale as batatas cruas. Após, esprema para retirar o excesso de água. Acrescente os ovos, a farinha, o leite, o alho amassado e os temperos. No final, acrescente a carne defumada cortada em pedacinhos pequenos. Misturar tudo e frite dos dois lados.

 

 

JAHODOVÉ KNEDLÍKY (Bolinhos recheados de morango)

 

(divulgação internet)

 

Ingredientes

 

  • 300 g de farinha
  • 5 g de fermento biológico
  • 1 ovo
  • 1 xícara de leite
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de chá de açúcar

 

Preparo

 

Misture o fermento biológico com um pouco de leite morno e uma colher de chá de açúcar. Deixe descansar por uns 10 minutos, para o fermento agir e levedar. Depois misture bem o restante dos ingredientes com a mistura de fermento e reserve até a massa dobrar volume (+/- 1 hora). Corte a massa em pequenos pedaços e recheie cada pedaço com morango fresco, fechando bem. Deixar a água ferver e cozinhe os bolinhos por aproximadamente 5 a 7 minutos, virando-os de vez em quando. Sirva os bolinhos junto com açúcar, ricota e manteiga derretida.

 

 

HONZOVY BUCHTY (bolinho de ameixa)

 

(divulgação internet)

 

Ingredientes

 

  • 300ml de leite quente
  • 4 colheres de açúcar
  • 40g de fermento biológico
  • 500g de farinha de trigo
  • 1 ovo inteiro e mais 1 gema
  • 50g de manteiga
  • Geleia de ameixa para rechear

 

Preparo:

 

Em 100ml de leite quente, misture 1 colher de açúcar e 40g de fermento.
Deixe descansar fora da geladeira por 10 minutos. Adicione à mistura do fermento o restante do dos ingredientes (menos a manteiga e a geleia) e amasse até a massa ficar homogênea. Polvilhe com pouco de farinha, cubra com um pano de prato e deixe crescer fora da geladeira por cerca de 40 minutos.

Separe a massa em bolinhas e recheie com 1 colher de geleia de ameixa, fechando em forma de trouxinha. Em seguida, colocar as trouxinhas numa assadeira untada com manteiga. Depois, unte por completo todos os bolinhos com a manteiga e deixe descansar por mais 15 minutos. Leve ao forno pré aquecido a 180º e asse até que os bolinhos fiquem dourados. Após resfriarem, polvilhe açúcar de confeiteiro.

 

 

 

*Apoio: Czech Tourism e Avant Garde Prague

Eliane Barbosa
1 Comentário
  • Neusa Richards

    Amei as receitas vou fazer a sopa de alho , parece simples e boa
    Ps: Próximas férias vou colocar Praga no meu roteiro

    Obrigada

    29/01/2018 às 23:37 Responder

Escreva seu comentário